/ Entrevista

Avril Lavigne em nova entrevista para a People: “Não sabia que estava fazendo um álbum novo”

Na tarde da última quarta-feira, 13, a revista People divulgou uma breve conversa que teve com Avril Lavigne. Após uma exclusiva para a revista, em 2015, onde a canadense falou abertamente pela primeira vez sobre a doença que a afastou dos holofotes na época, Lavigne voltou a falar sobre a Lyme e como ela tem influenciado sua perspectiva de vida durante o processo de reabilitação: “Eu passei por tanta coisa, mas estou bem agora.

Leia a matéria na íntegra adaptada e traduzida:

A crise de saúde da pop star influenciou o seu sexto álbum, Head Above Water, disponível no dia 15 de fevereiro. Após aproximadamente quatro anos longe dos holofotes, Avril Lavigne está de volta – e pronta pra contar a sua história. Feliz e saudável após a luta devastadora contra a Lyme, a pop star de 34 anos revela como os problemas de saúde mudaram a sua vida. “Isso [a doença] me deu um sentido na vida”, ela comenta sobre a sua jornada “E fez com que eu me reencontrasse comigo mesma.

Como ela já havia revelado com exclusividade à People, em abril de 2015, Lavigne esteve sofrendo em silêncio após desaparecer dos olhares do público, no outono de 2014. Alguns meses antes, enquanto estava em turnê, Lavigne começou a se sentir fraca, mas os médicos pensaram que se tratava de desidratação e exaustão. Meses depois, quando os sintomas pioraram e ela mal podia se mover, Avril visitou um especialista em Lyme que a diagnosticou com a doença, que é uma infecção bacteriana transmitida através da picada de carrapato, e que causa sintomas como indisposição moderada à severa, dor muscular e até demência. A doença fez com que Lavigne passasse dois anos na cama – em um determinado momento, ela se convenceu de que estava morrendo. “Quando você passa por algo assim, você acaba percebendo como coisas simples podem ser importantes – como se levantar de manhã, ir até a cozinha e pegar uma xícara de café”, ela diz. “Isso [Lyme] me ensinou a ser paciente, me ensinou a viver mais o presente. Foi uma lição linda.”

Durante os piores momentos da luta contra a doença, Lavigne se apoiou em seus pais, na sua avó e na fé cristã. “Sou uma pessoa muito espiritual, e eu realmente me cheguei a Deus durante aquela experiência”, ela comenta sobre seus pedidos por ajuda em orações.

Além disso, Lavigne também usou as suas músicas para lidar com a situação, através de hinos fortalecedores como, Head Above Water e Warrior, que estarão em seu novo álbum. “A música me ajudou a me reerguer e fez com que eu me sentisse melhor”, ela diz. “Eu consegui transformar um momento difícil da minha vida no melhor que eu podia fazer… No começo, eu não sabia que estava fazendo um álbum novo – eu apenas recorri à composição como uma cura pra mim.

Lavigne tratou a sua doença com antibióticos e ervas por dois anos. Ela ainda lida com a Lyme atualmente, “Eu me sinto muito bem”, ela conta que controla a sua dieta – ela é fã de sucos e que se alimenta com produtos orgânicos, além de praticar yoga e meditar.

O descanso da mídia (e da sua carreira sem pausas) foi o primeiro momento de sossego desde quando ela ascendeu à fama, há 17 anos, com o lançamento de seu primeiro single, Complicated. Ela conta à People que a batalha por sua saúde trouxe um motivo novo para viver. “Eu tive uma nova perspectiva e enxerguei o quanto as pequenas coisas da vida – amigos, amor, família e a saúde são o que realmente importam”, a cantora diz. Avril espera conseguir trazer mais informação sobre o Lyme através de sua fundação, que conseguiu a parceria da Aliança Global contra o Lyme e da Fundação LymeLight.

Minha meta agora é um dia de cada vez. Não trabalhar excessivamente – apenas ter moderação”, revela a cantora que acabou de lançar um hino feminista, Dumb Blonde, em parceria com Nicki Minaj. Ela acrescenta: “Estou em paz. É importante aproveitar a vida ao máximo todos os dias.”

A matéria original, em inglês, pode ser encontrada aqui.

 

Tags: